Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

domingo, 5 de maio de 2013

Comida di Buteco 2013 - Bar da Cida

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, há seis anos, obriga os bares a criarem pratos com ingredientes pré-determinados. Entre muitos sabores e alguns dissabores, este blog volta a percorrer os bares participantes, procurando visita-los em dias e horários alternativos para fugir das filas. Nas postagens referentes a este momento daremos maior enfoque nos pratos, até pelos bares se encontrarem fora da sua dinâmica habitual.

O prato

O Bar da Cida é tradicional na Região do Floramar e, desde que ingressou no evento, em 2007, já obteve alguns bons resultados, inclusive o primeiríssimo lugar em 2008. Para a edição de 2013, a cozinha do boteco voltou às suas raízes, oferecendo um prato no estilo “com pãozinho pra moiá”. Dessa vez, o corte escolhido para ir à panela de pressão foi a língua bovina, e o petisco ainda recebe a escolta de oito bolinhos de mandioca, sendo quatro deles cozidos e quatro fritos. Batizado de Dona Língua e seus bolinhos (R$ 22,90), a carne é saborosa, e o molho com a batatinha mais ainda. O seu pecado foi ter ido à mesa com alguns pedaços mal selecionados de língua, forçando-nos a deixar para trás uma parte da porção.

 Quanto aos bolinhos, são igualmente apetitosos, nos dois formatos. Destaca-se a fina fatia de calabresa ao final de cada um deles, regada em interessante tempero à base de azeite. Por receber o acréscimo do pãozinho de sal, atende a três pessoas sem dificuldades.

Para beber, no dia da visita não nos foi concedida a opção de cervejas clássicas, e assim optamos pela Original (R$ 5,80), que estava gelada. O prato nos foi servido pela simpática Cida, e o atendimento das garçonetes se manteve dentro do esperado. Em dias mais cheios forma-se uma fila à frente do bar, delimitada por cones e que dispensa a necessidade de uma “hostess”. O banheiro, por fim, estava limpinho e perfumado.
Outras informações sobre o bar, como endereço e horário de funcionamento, podem ser encontradas aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário