Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

quarta-feira, 1 de maio de 2013

Comida di Buteco 2013 - Pé de Goiaba

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, há seis anos, obriga os bares a criarem pratos com ingredientes pré-determinados. Entre muitos sabores e alguns dissabores, este blog volta a percorrer os bares participantes, procurando visita-los em dias e horários alternativos para fugir das filas. Nas postagens referentes a este momento daremos maior enfoque nos pratos, até pelos bares se encontrarem fora da sua dinâmica habitual.

O prato

O Pé de Goiaba, depois de algumas participações pouco expressivas no evento, concorreu com um ótimo lombo assado ao molho de goiabada e queijo no ano passado, que apesar da aclamação pela crítica, não subiu ao pódio. Para 2013, o bar se inscreveu com um prato que considero estar aquém do anterior. Composto por “Bombomzinho” de linguiça caramelizada com conserva da casa, no “Bombom Mineiro” (R$ 22,90) a linguiça aperitivo não é das minhas favoritas. O fato de elas serem caramelizadas é interessante, porém isso as torna enjoativas ao final. Já a conserva de jiló, que em minha opinião é o que busca dar equilíbrio ao prato, é servida em quantidade irrisória.
 
 
A cerveja comercializada se restringe aos rótulos premium da AMBEV (Original e Bohemia a R$ 7,00), mas são levadas geladinhas pelo esforçado e bem humorado time de garçons. Estes, assim como os clientes, são obrigados a um verdadeiro malabarismo no anexo do bar, onde as mesas não recebem o mínimo espaço umas das outras. A higiene foi um destaque positivo, e estava dentro do esperado.

Encerro com duas notas tristes, ambas se referindo à fila de espera. A primeira é quanto ao impedimento das cervejas em garrafas para quem aguarda, mesmo que o cliente se disponha a despejar o líquido em copos de plástico no balcão. Neste ano passaram a vender somente o chopp (R$ 4,90), numa clara opção pelo maior lucro. A segunda é sobre o despreparo da hostess, que além do pouca delicadeza no trato com a fila, incomodava a todos por estar fumando em seu posto de trabalho.

Outras informações sobre o bar, como endereço e horário de funcionamento, podem ser encontradas aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário