Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

terça-feira, 14 de agosto de 2012

Comida di Buteco 2012 - Serra e Funcionários

Dando sequência à retrospectiva do Comida di Buteco 2012, falamos hoje de dois tradicionais bares da Região Centro Sul, que são o Estabelecimento e o Barbazul.

O quitute do primeiro deles era um dos que eu mais desejava conhecer, expectativa esta motivada pelo prato do ano anterior, o delicioso e injustiçadíssimo “Falando Abobrinha”. Devo dizer, porém, que essa expectativa não foi superada, o que por outro lado também não exime de mérito o tira-gosto, sobretudo pela sua criatividade. Afinal, “costelinha de porco espinho” e “petit queijô” não são coisas que costumamos ver por aí.

Houve um cuidado no que se refere à apresentação das costeletas, que apesar de tudo não conseguiram o destaque que mereciam enquanto componente principal. Já o petit queijô, espécie de batata grosseiramente prensada e coberta por um molho de cor branca com limão e ervas, é suave e inovador, porém eu entendo que não tenha harmonizado perfeitamente com a carne. Assim sendo, atribuo o conceito bom ao prato.

Vale destacar o aprazível ambiente da casa, que faz a diferença. Já o atendimento se mostrou comprometido, mesmo com parte da equipe sendo temporária, e a Brahma, na ocasião vendida a R$ 5,50, se manteve gelada em praticamente toda a nossa estada.

Quanto ao Barbazul, diferentemente do que imaginei do prato pela foto, trata-se de uma porção farta em carnes, com apenas uma fina camada de queijo cobrindo a língua ao molho. Apesar disso, o aroma e o gosto de tempero industrializado roubaram a cena, tornando o prato muito menos interessante do que poderia ser. Na tentiva de suavizar o seu sabor lançamos mão do purê de batatas em forma de ratinho, que para tamanha missão acabou se mostrando pequeno.
Falando dos itens secundários, o atendimento foi satisfatório, o que não se pode dizer da temperatura da cerveja (Original a R$ 5,50 quando servida em um balde com 4). Pecou também por não estar oferecendo o seu famoso pernil no dia da nossa visita, mas ao menos o ambiente de bar permanece como um dos melhores da cidade.  


Nenhum comentário:

Postar um comentário