Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

segunda-feira, 16 de janeiro de 2012

Botequim Seu Jorge - 29/12/2011



O Botequim Seu Jorge, que até onde sei ainda não completou o seu primeiro aniversário, foi inaugurado com a proposta de reportar aos mineirinhos da capital um ambiente tipicamente carioca. Se algum dos habitues assim se imagina eu não sei, mas o certo é que a considerável movimentação diária mostra que o bar já fez a sua clientela.

A casa trabalha com os rótulos da cervejaria Krug Bier, e portanto há chopp da marca em quatro versões, tais como o Cristal e o Amber (R$ 3,90 cada tulipa de 300 ml), além de cervejas Austria nas suas diversas qualidades.

Para petiscar fomos de combinado 1, porção esta que custa em torno de R$ 34,00, e que é composta por picanha, frango, linguiça e fritas. A linguiça, por ser uma calabresa básica, só fez jogar contra o patrimônio, e voltou na mesma quantidade em que chegou. Os demais são razoáveis, com a ressalva da picanha, estranhamente magra, não passar perto das melhores da cidade e dos próprios bares da Fleming. O certo é que, pela comida em si, não voltaria ao Seu Jorge.

O atendimento é bom, mas torna-se um pouco confuso quando a casa atinge sua lotação máxima. No dia em que lá estivemos chegou a se formar uma pequena fila à porta, e tão logo a mesma foi desfeita, com os clientes devidamente acomodados, a porta foi fechada. Não passava das 23h, e portanto se a sua intenção é uma saideira por aquelas bandas, trate de descer um pouco mais pela Avenida.

Os banheiros situam-se exclusivamente no segundo andar, onde há também algumas saletas ainda não aproveitadas como ambientes diferenciados do bar. Já o jardim, que circunda a casa, não deixa de contribuir para que o botequim se torne mais aprazível e charmoso. No fim das contas é um dos bons lugares para se tomar um chopp a preços que não assustam, mas por hora ainda não pareia com os melhores da Pampulha.



Seviço:
Butequim Seu Jorge
Av. Fleming, 175 – Bairro Ouro Preto
Tel: 3498-4373
.

3 comentários:

  1. Pedrão,

    Concordo com seu relato. Realmente é um ambiente muito bacana e com preços que não assustam. O que assusta é o tira gosto bem mais ou menos e o tal do atendimento confuso, que é mal de muitas casas em BH quando o estabelecimento enche!

    ResponderExcluir
  2. Exatamente, Leo.

    Se não melhorarem o atendimento e a cozinha com brevidade, pode ser até que não se sustentem. Isto seria uma pena pelo chopp e pelo ambiente, mas como a concorrência por ali é grande, se dormir na praça...

    Saudações!

    ResponderExcluir
  3. Vai causar polêmica eu num sei, mas sabe minha opinião. Tá espantado de um bar "carioca" não ter bom tira-gosto, que tradição os cariocas têm de tira gosto, nenhuma. Não me assusta.
    Bar Carioca + Tira gosto meia boca + Choop Krug = Lugar pra boyzin tirar onda.
    Sei lá meu fiilho, até sua crônica foi curtinha, acho que não tinha tanto atrativo para ser comentado assim, e se tivesse nota nesse aê num passaria de 2,5 a geral.

    :-(

    ResponderExcluir