Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Bar do Dedinho - 04/12/2011




O Bar do Dedinho eu conheço há alguns anos, já que quando o visitei pela primeira vez ainda não tinha completo o primeiro aniversário. Não, eu não sou um velho, e nem ele é um boteco antigo ou alguma instituição da Pampulha. Ocorre que o bar fora inaugurado há não mais do que cinco anos e, meses depois, já figuraria dentre os participantes do Festival Comida di Buteco, com a nossa habitual presença para experimentar o quitute preparado por motivo do evento.

Apesar da pouca idade, o Dedinho já passou por pelo menos uma reforma, e hoje ocupa todas as três lojas de uma pequena galeria na Av. Anuar Menhen, contando ainda com um salão de sinuca piso superior, que até hoje não explorei. Seja como for, pelo piso térreo é possível verificar que o Dedinho dispõe de uma considerável infraestrutura, tendo instalado três televisões de LCD neste ambiente, as quais reproduzem variados DVD’s musicais quando não estão transmitindo os jogos dos times mineiros. O ponto negativo desse pavimento fica por conta dos toaletes, que julgo ser menores do que deveriam.

Para fazer uma boquinha, sugere-se ao cliente que escolha qualquer das variadas chapas que são a especialidade da casa, as quais correspondem a no mínimo metade dos pedidos que chegam à cozinha. Há a Chapa do Dedo (linguiça coberta com queijo, contra filé e torresmo, muito torresmo...), a Trinca Mineira (contra filé ao shoyu, chips de jiló e batata recheada assada) e o Dedinho do Norte (escondidinho de carne de sol com purê de batatas), mas nesse dia fomos de Dedinho de Minas (R$ 27,00), que é uma chapa constituída por filé de frango em cubos com catupiry e orégano, escoltados por batata noisette. O último item do petisco estava “em falta”, e por não haver outra opção tivemos de aceitar as fritas convencionais. Improvisos a parte, considero que seja um dos melhores frangos com catupiry da cidade.

Do freezer saem as mais comerciais cervejas da AMBEV, tais quais a Brahma, a Skol, a Original e a Bohemia, vendidas por cerca de R$ 5,00 cada garrafa de 600ml. Há ainda alguns sucos de polpa, cujo copo de 300 ml custa R$ 3,50. Vale destacar que este bar sempre alcançou posição de destaque em venda de bebidas nos meses em que acontece o Comida di Buteco.

O atendimento, que em minha opinião sempre foi o calcanhar de Aquiles do bar, se manteve bom durante a nossa estada. Devo registrar que num passado não muito distante já tivemos problemas sérios com relação a este quesito, e fomos inclusive agredidos verbalmente por um Gerente que, ao que parece, não consta mais nos quadros do estabelecimento. Por outro lado, fico procurando entender as lamentações compartilhadas ano após ano pelo Dedinho, dono do bar e de quem não tenho nada a reclamar, sobre a dificuldade de encontrar e manter bons funcionários, que de acordo com ele são escassos no mercado, mas que não deixam de ser essenciais para que episódios como este não se repitam.

Mais recentemente, há cerca de dois anos, seria aberta a segunda unidade do Bar do Dedinho, que fica próxima ao Supermercado Via Brasil, no bairro Itapoã. Por lá a mesma fórmula e o mesmo cardápio, porém em um ambiente diferente do primeiro, já que conta com uma espécie de quintal onde são dispostas várias mesas, e ainda com a possibilidade de apresentações de samba conforme o dia da semana. Enfim, se gosta de chapas e não se importa em correr o risco do atendimento, o Bar do Dedinho será uma boa opção.


Serviço:
Bar do Dedinho
Av. Deputado Anuar Menhen, 232 - Santa Amélia
Tel: 3047-1012
.

4 comentários:

  1. Cara, num tow lembrando se eu já fui nesse bar... memória ruim viu, talvez a amnésia alcoólica esteja afetando hehehe. Mas de qualquer forma esse lance de chapa é bacana, e ver ela chegando borbulhando na mesa é show! Além de manter bem aquecido e da mais vontade de beber!!!

    Aê meu fiiiilho, sou o 6º membro do seu blog!!!

    Valeu

    ResponderExcluir
  2. Pedrão,

    Por incrível que pareça, conheço o Bar do Dedinho desde sua inauguração... mas só conheço de passagem, pois nunca parei para saborear uma chapa ou tomar uma cervejinha. Nem sei dizer qual o motivo... talvez uma falta de oportunidade de parar no local. Mas como um bom butequeiro, tenho que efetivamente conhecer o bar. Eu por exemplo, não sabia do esquema das chapas, que achei muito bacana!

    Abraços!

    ResponderExcluir
  3. Fala Diogão!

    Eu também não me lembro de termos ido juntos ao Bar do Dedinho, mas que sabe não será o próximo?

    Por lá as chapas se mantém quentes por rechauds posicionados abaixo destas. Entretanto, se excessivamente aquecidas, arrisca-se perder os acompanhamentos, tais quais as fritas, o queijo, etc.

    Valeu por ser o "sexto elemento", e um abraço!

    ResponderExcluir
  4. Grande Leo, fico honrado com a sua estréia por aqui.

    Resguardados os descontos ao atendimento, geralmente necessários, acho que vale a pena conhecer o bar e seus petiscos. Que seja pelo simples fato de se tratar de um dos mais movimentados da Região "além Lagoa", mas vale, até porque os pratos não costumam desapontar.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir