Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Ouro Beer - 09/06/2012

No Ouro Beer voltamos ainda na estréia de Ronaldinho Gaúcho no Galo, e lá chegamos com o jogo prestes a se iniciar. Aliás, li dia desses na nova Veja BH, cuja seção de Bares tenho apreciado bem, que esta casa seria reduto de cruzeirenses, mas ocorre que não foram uma ou duas vezes que lá estive para assistir a jogos do Galo. Sinceramente, não me vem à cabeça sequer um bar genuinamente azul, assim como para os alvinegros há o Bar do Salomão, o Bar do Mandruvá e o Maria da Fé Botequim, dentre outros. De toda forma, peço aos amigos e leitores cruzeirenses que, se possível, satisfaçam a curiosidade deste blogueiro.
Chegando por ali, conseguimos uma das últimas mesas disponíveis, de onde foi possível assistir o jogo e, claro, bebericar algumas garrafas de Brahma gelada, que custam em torno de R$ 5,00. Já a Vivian escolheu uma dentre as poucas opções de suco em polpa.
No intervalo da partida pediríamos dois pães de alho, honestos, e também uma chapa de contra filé com fritas, que ao preço médio de R$ 25,00, atende a não mais do que três pessoas. 
Antes deste trivial petisco havíamos perguntado sobre as comidas de boteco anunciadas no cardápio, como carne de panela ou moela ao molho, porém estavam todas em falta. E com o final do jogo, Vivian tomou um caldo de feijão com mandioca, também honesto.

O atendimento não é dos mais ágeis, carecendo que seja acionado vez por outra, o que apesar de tudo  não copromete. Já os banheiros são amplos e razoáveis quanto à limpeza. No pagamento recebe cartões de crédito e débito, e eventualmente a casa coloca alguns itens em promoção, sobretudo nos dias e horários de menor movimento.

De frente ao bar o recuo do passeio comporta na faixa de dez veículos, o que se caracteriza como uma ligeira vantagem frente aos bares da vizinha Avenida Fleming. Isto caso o leitor esteja a procura de um lugar mais familiar e menos glamouroso, para tão somente assistir o futebol ou levar as crianças. Do contrário, vale arriscar-se pelos points da badalada Avenida.


Notas Pedrão

Ambiente: 3
Bebida: 4
Comida (peso 2): 3
Público: 3
Serviço: 3
Custo-benefício: 3

Notas Vivian

Ambiente: 4
Bebida: 3
Comida (peso 2): 4
Público: 3
Serviço: 3
Custo-benefício: 3

Média Final: 3,5 estrelas


Ouro Beer
Rua Manoel Elias Aguiar, 140 - Ouro Preto
Tel: 3498-4329
.

2 comentários:

  1. Aê,
    Claro que tem bar genuinamente azul sim! É... deve ter... em algum lugar, hehehe!

    Meu filho, vc num disse que estava vindo de um excelente pagode, o pagode do Rei! Tava era bom lá viu, MUITA gente bonita, cerveja gelada além de música boa.

    Essa Avenida Fleming tá bombando num é de hoje hein, mas ainda não tive a oportunidade de dar umas bandas por lá. Boa sujestão.

    Grande abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Diogo!

      Pois estes bares azuis não estão parecendo cabeça de bacalhau? Hehehe.

      A casa de shows onde estivemos antes certamente tem os seus méritos, o que admito mesmo não tendo o pagode dentre as minhas preferências. Mas como as baladas não são o forte deste blogueiro, careceria de no mínimo mais uma visita para então escrever uma crítica justa.

      Realmente, a Avenida Fleming se firmou como o point daquela região. E o bom é que há opções para todos os gostos.

      Obrigado por mais esta participação, e um abraço!

      Excluir