Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

sábado, 2 de junho de 2012

Comida di Buteco 2012 - Buritis e Nova Suiça

Ainda no segundo dia de Comida di Buteco, depois de percorrermos os bares do Barreiro, estivemos também em alguns dos vários bares da Zona Oeste, no caso os representantes do Buritis e do Nova Suiça. O primeiro deles foi o Autêntico’s Bar, que vinha de um ótimo segundo lugar em 2011, e que para o ano do queijo não fez feio. O único pecado do prato “Caipira da Gema”, que viria a faturar o quarto lugar algumas semanas depois, seria a diminuta quantidade da porção. Contudo o chapéu de queijo se mostrou dos mais criativos, e o creme de abóbora uma verdadeira perdição. Abaixo duas fotos do prato, sendo a primeira da forma como é apresentado, e a segunda quando já descoberto.

Em seguida tomamos o rumo do estreante Bar da Claudinha, onde nenhum de nós havia estado até então. Nele fomos bem atendidos pelos garçons Marcos e Maurício (não, eles não compõem uma dupla sertaneja), e nos surpreendemos com o petisco Divina Tentação. Tanto que voltamos a comparecer dentro do festival, ocasião em que a carne estava ligeiramente salgada, e ainda fizemos uma terceira visita depois de recolhidas as urnas, momento em que o petisco alcançaria o seu ápice. Por ali se paga R$ 4,70 em cada garrafa de Brahma, e R$ 5,20 caso a escolhida seja a Bohemia.
Há exatos dois quarteirões do Bar da Claudinha se localiza o já veterano Pé de Goiaba, e como estávamos tão próximos resolvemos conhecer o seu prato para fecharmos aquele dia. E eis que, despretensiosamente, chegamos ao bar que viria a apresentar um dos melhores petiscos de 2012. Depois de enfrentarmos não menos do que quarenta minutos de fila, sentamos em uma das mesas da nova área do bar, e bebericamos cervejas Brahma a R$ 5,40 cada, as quais foram servidas com alguma lentidão pelos garçons. Porém, como fizemos com o vizinho Bar da Claudinha, nele também retornaríamos para uma segunda visita, ocasião em que seríamos muito melhor atendidos, apesar de termos nos deparado com a imposição de cervejas Bohemia e Original (R$ 5,90 cada).
Falando do ótimo prato, trata-se de mais uma roupagem para a infalível combinação de carne suína com goiaba agridoce. Nele o lombo é assado e coberto por molho de goiabada e queijo salpicado, que vai à mesa escoltado por uma bela farofa de abobrinha picante, a qual se mostrou um interessante acompanhamento mesmo depois da ligeira queda sofrida na segunda visita. Um petisco que desagradou a raríssimos paladares, mas cuja ausência no pódio do Comida di Buteco espantou a muitos. Seja como for, o prato “Romeu e Julieta” retrata a evolução da cozinha do Pé de Goiaba, e certamente será mantido no cardápio da casa para o deleite dos butequeiros de plantão.

2 comentários:

  1. Excelente resenha Pedrão! Só é uma pena, no dia em que estive no Autêntico's, eu não me deparar com este fabuloso chapéu de queijo mexicano, me sendo oferecido um simples chapéu côco.
    Abraços!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Salve Leo Koscky!

      Entendo bem a sua decepção, e me pergunto o porquê da organização não monitorar o padrão do prato. Do contrário continuaremos nos deparando com modificações notáveis dos petiscos em pleno curso do evento.

      Um abraço, e obrigado pela presença!

      Excluir