Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

domingo, 11 de setembro de 2011

Quinto do Ouro - 04/09/2011



Não tenho propriedade para falar da chamada alta gastronomia, até porque me aventurei pouco na arte de se degustar refeições apuradas. Entretanto me julgo capaz de opinar sobre propaganda enganosa ou atendimento ruim. E são exatamente estes dois pontos que mais me chamaram a atenção quando estivemos no Quinto do Ouro, sito dentro do Hotel Ouro Minas.

No site oficial e através de consulta telefônica propaga-se que a cozinha do restaurante é comandada pelo Chef Juliano Marques, que sugere aos clientes um menu com entrada, prato principal e sobremesa, ao preço único de R$ 60,00. A refeição poderia ser degustada no piano bar, que é um dos ambientes do Quinto do Ouro. Todavia, na prática não vimos Chef, nem menu promocional e nem piano, fazendo com que o termo propaganda enganosa não se pareça inadequado ao caso.

Que o pene ao pesto de manjericão e nozes (R$ 35,00) é bom não me resta dúvidas. Igualmente saboroso é a meia lua recheada com peito de pato e foie gras (R$ 46,00), até porque apreciara pela primeira vez os dois componentes do recheio, me faltando por absoluto qualquer parâmetro de comparação. Para acompanhar uma garrafa de 375 ml do vinho Chileno Santa Carolina, pelo qual paguei R$ 35,00. Aliás, gostaria muito que algum entendido de gastronomia explicasse a este leigo se o preço cobrado pelas bebidas é superfaturado em todo e qualquer restaurante internacional.

Com relação ao serviço, acredito que poderia ter sido mais interessado. Alguma explicação sobre a ausência do pianista e do Chef por certo amenizaria o equívoco. Fazer com que a televisão ligada na Rede Globo substitua a bela sonoridade do piano está longe de ser a melhor solução, e acaba por descortinar o que existe entre o serviço do restaurante e os demais serviços prestados pelo ótimo Hotel. Este contraste talvez explique a preferência de muitos hóspedes por uma casa de proposta menos requintada na hora do jantar, como o vizinho de frente Baby Beef.

Serviço:
Quinto do Ouro
Av. Cristiano Machado, 4001 – Ipiranga
Tel: 3429-4001
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário