Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

segunda-feira, 22 de dezembro de 2014

Expresso 500 - 11/12/2014

A curiosidade em conhecer o Expresso 500, aberto no início do ano, se deu por este funcionar somente às quintas-feiras, particularidade que eu jamais havia visto. Outro aspecto singular do mesmo, notada ao se chegar á casa, é a porta fechada, sendo preciso anunciar a sua presença pelo interfone do local.

Ao subir o primeiro lance de escadas, o dono do estabelecimento recebe pessoalmente os clientes, fazendo uma breve explicação sobre o conceito do bar, que pretende ser uma empresa sustentável, e apresentando ao cliente a horta, cuja produção é aproveitada na cozinha. Para se chegar ao botequim propriamente dito, é necessário subir mais um lance de escadas, e finalmente poder desfrutar de seu belíssimo e aconchegante ambiente.


Outras duas características anunciadas pelo anfitrião, que bem poderiam ser copiadas por outros estabelecimentos, são a oferta gratuita de água filtrada, e a não cobrança dos 10% de serviço, seja na conta ou verbalmente.


Entrando na parte alcoólica, é com as cervejas mineiras que o bar abastece seus congeladores. Dela saem rótulos da Backer, da Wäls e da Cervejaria Inconfidentes, como a Grimor 21, que é uma herb beer desta última. Outra bebida muito presente no Expresso 500 é a cachaça, exposta em coleção invejável nas prateleiras da casa, mas com oferta de doses restrita a algumas dezenas delas, uma das quais de fabricação própria.


Ainda que o botequim não tenha pares no quesito ambiente e ofereça um bom atendimento – exagerando no serviço vez por outra -  o mesmo não foi observado em relação à cozinha, aspecto este de maior importância nas nossas avaliações. A porção de bolinhos de carne seca com requeijão de raspa, que pedimos como entrada, é saborosa, mas nada que chegue perto dos melhores bolinhos da cidade maravilhosa, por exemplo. Custando R$ 35,00 e com os quitutes em tamanho pra lá de acanhado, não conseguiu reduzir a ansiedade dos presentes à mesa – éramos três.




Antes de escolhermos a próxima iguaria, decidimos consultar o garçom, para que nos fosse servido um prato de fato, se é que me entendem. Como é de praxe em 99% dos estabelecimentos, ele indicou a mais cara das porções, no caso a carne de sol com mandioca (R$ 53,00), garantindo que desta vez seríamos bem servidos.


Quando esta chegou à mesa, vimos um prato realmente maior, porém longe de ser caprichado. O desapontamento se tornou maior pelo ponto de cozimento da mandioca, cuja textura se aproximava a de um purê. Reclamamos, e nos foi levada uma porção à parte de mandioca no ponto correto, quando já não mais havia carne de sol. Sobre esta, que é produzida pelo próprio chef, entendo que poderia ter sido mais bem dessalgada. É bom dizer, aliás, que a presença de um chef de cozinha foi o que aumentou a nossa expectativa e exigência. De toda forma, a atmosfera e a vista, irretocáveis, fazem valer no mínimo uma visita ao Expresso 500. Vai depender do que se busca em um bar.




Notas:

Ambiente: 5
Atendimento: 3
Bebida: 3
Comida (peso 2): 2
Custo-benefício: 3

Média final: 3 estrelas


Expresso 500
Rua Frei Orlando, 500 - Caiçara - Belo Horizonte - MG
Tel: (31) 8847-0804
Pagamento: aceita cartão de crédito e débito
Preço médio por pessoa: R$ 75,00*

*Consumo individual, em rateio ou não, de uma porção para dois, ou duas porções para um, de preço médio, acrescida(s) de duas bebidas e, quando houver, serviço e couvert/entrada. As bebidas podem ser duas cervejas de 600 ml, quatro cervejas de 350 ml, dois drinks, ou duas doses de cachaça, dependendo da especialidade do bar.

4 comentários:

  1. Sei muito bem o que é esse atendimento com certo exagero, rs.. Outro ponto que gostaria de destacar é a questão do "Chef", creio que não demoram a banalizar essa profissão, sem entrar muito no mérito e sem muita delonga, fato é que qualquer cozinheiro(a) com o mínimo de experiência, sabe bem o ponto exato da mandioca cozida

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bem observado, Gê. Ao se auto-denominar chef de cozinha, o olhar da clientela sobre o seu trabalho será muito mais rigoroso. Ainda maior quando o item for trivial.

      Excluir
  2. Gostaria de agradecer você pela visita em nossa casa e pelas observações feitas uma vez que a percepção de nossos clientes/amigos que é o nosso guia mostrando-nos o caminho que devemos seguir.
    A razão de nossa existência é de criar e transferir boas emoções, procurando sempre causar satisfação em quem nos confiou à possibilidade de prestar nossos serviços.
    Você é uma pessoa considerada especial para nós, portanto é nosso convidado para degustar o novo cardápio.
    Aproveitamos a oportunidade para comunicar-lhe que a partir de março abriremos também às sextas-feiras, também somente sob reserva.
    Abrir nossa casa para recebê-lo nos da uma imensa alegria.
    O seu lugar está reservado em nossos corações.
    Até breve.
    Família Expresso 500.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pessoal do Expresso 500,
      Obrigado pela gentileza e receptividade para com a nossa resenha. É bom saber que estão firmes na busca pelo aperfeiçoamento.
      Um abraço.

      Excluir