Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

quinta-feira, 7 de novembro de 2013

Bartiquim - 11/10/2013

Voltamos ao Bartiquim, tido por muitos belo-horizontinos como o melhor boteco da cidade, para uma happy hour de sexta. Cheguei às 18:30h e, até que o ponteiro dos minutos desse volta completa, era eu o único cliente no passeio do bar. Enquanto os parceiros de mesa não chegavam, tive como companhias a brisa agradável e o silêncio, este só interrompido pelo apito do trem. Trata-se de esquina privilegiada da cidade, como tantas outras do deleitável bairro de Santa Teresa.


Para me ajudar nos pensamentos, fui de Serramalte, a R$ 7,20 cada garrafa. Tive vontade de pedir uma das 15 ou 20 cachaças que o bar oferece, para acompanhar as azeitonas verdes (R$ 3,50), mas me lembrei dos compromissos do dia seguinte, e fiquei apenas nas rechonchudas.


Mais tarde, com o time já completo, experimentamos a porção de fritas com linguiça de frango (R$ 22,90). Foi uma boa recomendação do Bolinha, até porque há dias em que as trivialidades já satisfazem o paladar.


Depois quisemos nos reencontrar com nosso velho conhecido Boi molhado (R$ 27,40), que é a carne de panela ao molho Bartiquim. Bem mais miúdo que no passado, quando o delicioso molho recebia quantidade generosa de carne, restou-nos pedir um pãozinho extra (R$ 0,80) para aproveitar o caldo. Como carne de panela é coisa frequente na farta mesa do mineiro, tive dó de quem já deixou vinte pratas pela meia porção.

Ao longo da nossa estada, vimos o Bolinha recebendo vários fregueses pelo nome, demonstrando a fidelização da clientela. Por mais que o bar feche as portas pontualmente à meia noite, muita gente ainda chegava às dez e tantas, horário quando pedimos a saideira e a conta.



Notas:

Ambiente: 3
Atendimento: 3
Bebida: 4
Comida (peso 2): 3
Custo-benefício: 2

Média final: 3 estrelas

 
Bartiquim

Rua Silvianópolis, 74 – Santa Teresa – Belo Horizonte - MG
Tel: (31) 3466-8263
Formas de pagamento: aceita cartão de crédito e de débito
Preço médio por pessoa: R$ 50,00*

*Consumo individual, em rateio ou não, de uma porção para dois, ou duas porções para um, de preço médio, acrescida(s) de duas bebidas e, quando houver, serviço e couvert/entrada. As bebidas podem ser duas cervejas de 600 ml, quatro cervejas de 350 ml, dois drinks, ou duas doses de cachaça, dependendo da especialidade do bar.

2 comentários:

  1. Apesar da especialidade em pratos "moiados" nessa visita a porção "seca" deu de 10!

    ResponderExcluir
  2. Boa síntese sobre o momento do bar!

    ResponderExcluir