Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

Pavão Azul - Rio de Janeiro - 25/01/2014

O Rio de Janeiro continua lindo e, além disso, uma verdadeira perdição aos butequeiros de plantão. Prova disso é a existência de bares como o Pavão Azul, em Copacabana, que além de excelente "pós-praia", é atualmente o melhor boteco da cidade pelo juri da Veja Rio, escolha esta mais do que justa.


Situado na Rua Hilário de Gouveia, 71, quase esquina com Barata Ribeiro, o botequim alcançou tamanho sucesso que foi necessário abrir um anexo, logo em frente à matriz, apelidado pela clientela de Pavãozinho. Nesta nossa primeira visita permanecemos no ponto original e, logo ao chegar, encontramos duas banquetas disponíveis, estas utilizadas como mesas improvisadas até que surgissem vagas no movimentado bar.


Para beber, cerveja Original a R$ 7,50, ou o tradicional chopp da Brahma, que é vendido a preço bem honesto, custando R$ 4,50 cada tulipa de 300 ml. Tirado por um funcionário especializado no assunto, que trabalha dentro do balcão, a bebida chega cremosa e refrescante para o cliente.


É bom dizer que não apenas este empregado se destaca, mas também os ágeis e simpáticos garçons, e ainda a proprietária do bar, que está sempre atenta ao que acontece no Pavão Azul. Impossível não falar também das cozinheiras, que preparam belos pratos - inclusive refeições executivas de segunda a sexta - e os excelentes quitutes que fizeram a fama do bar.


Falando em petiscar, já demos início pelas recomendadíssimas pataniscas de bacalhau, que custam R$ 2,30 a unidade, e são servidas em quantidade mínima de quatro unidades. Explicando, são bolinhos de bacalhau sem a batata, mas com muito, muito sabor!


Sendo fritos na hora, chegam à mesa quetinhos. Sua casquinha é crocante, mas o interior é macio e suculento. Neles é possível notar que o bacalhau desfiado é temperado com cebola e cebolinha, tornando cada mordida um enorme prazer!


Além das maravilhosas pataniscas, experimentamos também pastéis de queijo com tomate seco, a R$ 2,00 cada unidade, e também a porção de bolinhos de feijoada, que vai com 5 unidades e custa R$ 10,00.



Todos as opções de tira-gosto, pelo que notamos, são muito bem executadas. De um lado um cliente sugeria um belíssimo bife a milanesa e, um pouco mais à frente, um gringo destrinchava uma rabada com agrião e batatas pra lá de convidativa!


Encerro esta resenha expressando a minha satisfação por ter conhecido este bar, que é lugar de gente boa, preços honestos, e uma cozinha de dar inveja! Cada boa recomendação que recebi foi confirmada, e que o mesmo aconteça com os nossos leitores.


Notas:

Ambiente: 3
Atendimento: 4
Bebida: 4
Comida (peso 2): 5
Custo-benefício: 5

Média final: 4,5 estrelas


Pavão Azul
Rua Hilário de Gouveia, 71 - Copacabana - Rio de Janeiro - RJ
Tel: (21) 2236-2381
Pagamento: aceita cartão de crédito e débito
Preço médio por pessoa: R$ 40,00*

*Consumo individual, em rateio ou não, de uma porção para dois, ou duas porções para um, de preço médio, acrescida(s) de duas bebidas e, quando houver, serviço e couvert/entrada. As bebidas podem ser duas cervejas de 600 ml, quatro cervejas de 350 ml, dois drinks, ou duas doses de cachaça, dependendo da especialidade do bar.

2 comentários:

  1. Minha mãe mora no Rio, na verdade salvo me engano a 4 quarteirões do pavão, e realmente esse bar é muito gostoso, seja para tomar uma cerva ou almoçar.
    Parabéns pela matéria!

    ResponderExcluir