Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

815 Botequim - 27/09/2013

É interessante notar como a cidade vem se expandindo, gastronomicamente falando, para além dos seus eixos principais, quais sejam Lourdes e Savassi. Enquanto a Rua Pium-í, a Av. Fleming e as Seis Pistas – já em Nova Lima – reproduziam muito do que é visto nestes, bairros charmosos e tradicionais ao redor do Centro, como Santa Tereza, Prado, Santo Antônio e Serra, abrigavam botequins descolados e gastrobares. Isso sem dizer da renovação do Maletta, que joga luz no Centro da cidade, infelizmente ainda muito esquecido pelo empresariado e pelo poder público.

Ocorre que as boas novas gastronômicas não estão restritas ao Centro-Sul e seu entorno. Corredores mais distantes do Centro, que antes eram ocupados exclusivamente por trailers, botecos, pizzarias e bares com churrasqueira, agora recebem botequins de cozinha mais fecunda e sofisticada. É o caso da Avenida Guarapari, na Pampulha, do entorno da PUC, no Coração Eucarístico, e agora também da Av. Contagem, no bairro Santa Inês, que há duas semanas recebeu o seu primeiro gastrobar.

Funcionando em pequena loja, o bar dispõe a totalidade de suas mesas no passeio, e comporta não mais do que 25 pessoas sob o toldo. Para noites de vento frio, como a da nossa visita, extensões laterais deste toldo seriam ótima solução. O interior do bar, que é igualmente simples, abriga cozinha e balcão, além dos pequenos toaletes ao fundo.


Para beber, o 815 Botequim oferece cinco variedades de cerveja, todas em 600 ml. Skol e Brahma custam R$ 6,00, enquanto Brahma Extra, Budweiser e Original valem R$ 7,00, esta última geladinha. Falando de sua cozinha, que é o destaque do bar, alguém aí já ouviu falar em poutine? Pois é este sedutor petisco, que me fez delirar com batatas fritas como poucas vezes em minha vida, o carro chefe da casa. De origem canadense, é oferecido em quatro versões: Mexicano, Vegetariano, Bacon e Smoked Poutine. Embarcamos neste último, cujas fatias grossas de batata frita são cobertas por pernil de porco defumado, molho demi-glace, cebola caramelizada e queijo canastra. Uma verdadeira delícia, que ao preço camarada de R$ 19,90 fica ainda melhor!

 

Mais tarde experimentaríamos também a moela à moda do chef (R$ 11,90) que, por não ser uma exclusividade da casa, foge do padrão da poutine.
 

 Salivamos pelo frango frito crocante, oferecido em três tamanhos diferentes, e pela costelinha assada ao molho barbecue (R$ 37,90), onde o cliente pode escolher entre três versões do molho: banana barbecue, goiaba barbecue ou barbecue tradicional. Confiante na qualidade de suas criações, o dono afirmou que sequer as famosas costeletas do Outback batem na sua receita. Mau por não termos tido o suficiente apetite para prová-las, bom pela grande expectativa para a segunda visita. 


Notas: 

Ambiente: 3
Atendimento: 4
Bebida: 3
Comida  (peso 2):3
Custo-benefício: 4

Média final: 3,5 estrelas


815 Botequim
Av. Contagem, 815 - Santa Inês – Belo Horizonte – MG
Tel: (31) 9587-9592 / (31) 9259-0204
Pagamento: cartão de crédito ou débito 
Preço médio por pessoa: R$ 40,00 

*Consumo individual, em rateio ou não, de uma porção para dois, ou duas porções para um, de preço médio, acrescida(s) de duas bebidas, serviço e couvert/entrada, quando houver. As bebidas podem ser duas cervejas de 600 ml, quatro cervejas de 350 ml, dois drinks, ou duas doses de cachaça, dependendo da especialidade do bar.

2 comentários:

  1. Preços muito bons, já vi bar cobrando vinte reais nas fritas com muçarela...

    ResponderExcluir
  2. Concordo, Paulo.
    Vale acrescentar que as batatas usadas neste prato, apesar de processadas, são de muito boa qualidade!

    ResponderExcluir