Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

segunda-feira, 22 de abril de 2013

Comida di Buteco 2013 - Escritório da Cerveja

O evento

O Comida di Buteco é um concurso que teve início no ano 2000, e está em sua 14ª edição. Ao longo do tempo cresceu, angariou patrocinadores e se capitalizou. Espalhou-se por todo o Brasil e, há seis anos, obriga os bares a criarem pratos com ingredientes pré-determinados. Entre muitos sabores e alguns dissabores, este blog volta a percorrer os bares participantes, procurando visita-los em dias e horários alternativos para fugir das filas. Nas postagens referentes a este momento daremos maior enfoque nos pratos, até pelos bares se encontrarem fora da sua dinâmica habitual.

O prato

A nossa experiência no Escritório da Cerveja durante o Comida di buteco 2013 foi como uma comédia romântica, com momentos de tensão, mas um final feliz. Chegamos exatos 5 minutos após o horário anunciado para a abertura, mas já encontramos todas as mesas de frente ocupadas. Para que abrissem novas mesas no passeio ou no quintal, tivemos de esperar algo em torno de meia hora, e fomos obrigados a beber a uruguaia Norteña em – pasmem – copo de plástico.

Depois de devidamente acomodados, a história mudou. Por mais que o preço da cerveja seja incompatível com a região do bar (a partir de R$ 7,40 a Original), ela estava gelada e foi servida em um balde com gelo. Os garçons trabalharam dentro da qualidade esperada, e a permanência na calçada da avenida voltou a ser das mais agradáveis.


Sobre o prato Costela do Chefe (costela de porco no bafo com abacaxi e molho agridoce acompanhado de mandioca), este segue o mesmo formato que o bar adota desde 2011, apresentando uma grande peça de carne escoltada por itens à base dos ingredientes do ano, além do molho agridoce que parece ser sempre o mesmo. A costela, cujo tamanho  e  a presença do abacaxi são inferiores ao prometido na foto, atende de duas a três pessoas.  Mesmo tendo sido servida ligeiramente crua por dentro, trata-se de uma carne saborosa. A deliciosa mandioca, por sua vez, desmanchava-se de tão macia, e o tradicional molho agridoce da casa não tem erro: é feijão sem bicho.

Outras informações sobre o bar, como endereço e horário de funcionamento, podem ser encontradas aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário