Espaço destinado aos relatos críticos de andanças pelos botecos belo-horizontinos, assim como aos pitacos sobre outros lugares quaisquer.
Traduzir para ChinêsGoogle-Translate-Portuguese to FrenchGoogle-Translate-Portuguese to GermanGoogle-Translate-Portuguese to ItalianGoogle-Translate-Portuguese to JapaneseGoogle-Translate-Portuguese to EnglishGoogle-Translate-Portuguese to RussianGoogle-Translate-Portuguese to Spanish Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain Spain

segunda-feira, 4 de julho de 2011

Bar & Boi - 24/06/2011


Propaga-se com alguma freqüência o advento de eixos gastronômicos em Belo Horizonte, tais como a Rua Pium-í enquanto extensão da Savassi, a Região do Belvedere no entorno do BH Shopping, e mesmo algo nas limítrofes Nova Lima ou Brumadinho. Todos situados na Zona Sul e suas imediações, assim como o próprio Bairro de Lourdes, celeiro dos mais badalados restaurantes da cidade.

O que se difunde menos é o concomitante surgimento de outros eixos, em localização oposta a esta movimentação. O mais robusto destes, que vem concentrando as novas opções boêmias e gastronômicas da Pampulha, é o da Avenida Fleming, ali entre os bairros Ouro Preto e Bandeirantes. Onde outrora existiu uma pacata via, recebia no ano 2000 o Filé espetos como pioneiro da Região. Hoje são diversas casas que coabitam na Avenida, tendo sido a maioria inaugurada a não mais de dois anos.

Na Fleming há pedidas certas para o encontro da galera, algumas opções favoráveis a uma boa saída a dois, e certeiramente nenhum restaurante de nível internacional. Mas em se falando de eixos gastronômicos, não há outro além deste que tenha se consolidado fora dos limites da Região Centro Sul, ponderando que Santa Tereza situa-se a módicos dois quilômetros da Savassi.

O bar do qual falo hoje foi o segundo inaugurado na Avenida, e para ir de um ao outro basta atravessar a rua. Se a existência primordial do Filé encorajou os criadores do Bar e Boi não se sabe, mas o fato é que a inauguração deste tornaria possível vislumbrar a nova vocação daquelas bandas.

Prestes a também completar o seu primeiro decênio de existência, é outro que destaca em seu cardápio as carnes na brasa, servidas principalmente no peso. Longe de ser aconchegante como os melhores botecos da cidade, apresenta ambiente informal e tem nas mesas externas as mais disputadas, sobretudo pelos que buscam a paquera.

Como entrada trezentos gramas de muçarela de trança, a R$ 10,50, que bem acompanham a Brahma Gelada (R$ 4,40). Melhor ainda foi pagar R$ 21,00 por honestos quatrocentos gramas de contra-filé, cuja porção chega à mesa escoltada por uma travessa de mandioca na manteiga de garrafa.

Ainda tenho muito a percorrer na Fleming, até porque os empreendedores do ramo por certo já miram os lotes vagos que ainda resistem por ali. Seja como for, me satisfaço ao constatar que circuitos alternativo à Zona Sul vêm se tornando realidade. Entendo que este em especial é saudável à cidade, seja para avigorar a Pampulha como importante destino turístico ou por ser cômodo aos residentes dos arredores, na medida em nem todos estão dispostos, por razões diversas, a visitar exclusivamente os barzinhos da Pium-i ou os restaurantes de Lourdes.


Serviço:
Bar e Boi
Avenida Fleming, 294 - Bairro Ouro Preto
Tel: 3498-7666
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário